Capa
A Revista
Como Ler
Arquivo
Exclusivo Online
Assine
Contato
ASSINANTE
Esqueceu A Senha?
Peça Sua Senha!
SERVIÇOS
Classificados
Livros
Links
Eventos
 
LIVROS
 
ASSINANTE
Usuário:
Senha:
BUSCA
Plantio Direto HomePG
Adicionar aos Favoritos
Hortaliças


Irrigação de Cebola em Sistema de Plantio Direto

Waldir A. Marouelli1; Rômulo P. Abdalla2; Nuno R. Madeira1
1Pesquisadores da Embrapa Hortaliças; Brasília – DF; Fone: (61) 3385 9068; Email: waldir@cnph.embrapa.br
2Estudante de Graduação das Faculdades Integradas da Terra de Brasília; Recanto das Emas - DF


Introdução

A cebola é a terceira hortaliça em importância sócio-econômica no Brasil, ao lado da batata e do tomate. A área cultivada e a produção nos últimos cinco anos têm variado entre 57 e 68 mil hectares e 1,05 e 1,22 milhões de toneladas.

Quando cultivada durante a estação seca ou em regiões com precipitação irregular, a irrigação se faz necessária para garantir o sucesso da cultura. A irrigação no Brasil é realizada predominantemente por aspersão, sendo o pivô central o sistema mais utilizado na produção de cebola em grandes áreas. Embora a produtividade média nacional nos últimos anos esteja em torno de 18 t/ha, cultivos irrigados e bem conduzidos têm rendimentos entre 40 e 60 t/ha, ou até mesmo superior.

O sistema de plantio direto (SPD), baseado no revolvimento mínimo do solo, na rotação de cultura e na manutenção da cobertura do solo com resíduos vegetais, apresenta como vantagens a redução no uso de máquinas, melhoria da estrutura do solo, aumento da infiltração e retenção de água no solo, redução das perdas de água por evaporação e escoamento superficial, melhoria do desenvolvimento do sistema radicular das plantas e no controle de plantas invasoras, redução da erosão e do impacto da chuva e aumento da eficiência do uso de água pelas plantas.

Diante dos benefícios que oferece, o SPD vem sendo adotado para a produção de cebola em estados como Santa Catarina, São Paulo, Minas Gerais e Goiás. Porém, devido à escassez de pesquisas direcionadas para a produção de hortaliças em SPD, o manejo da cultura é, em geral, o mesmo recomendado para o sistema de plantio convencional (SPC). Quanto à irrigação, tem sido constatada em áreas de produção que os turnos de regas e as lâminas de água aplicadas em SPD também têm sido similares às recomendadas para o SPC. Esse manejo impróprio da irrigação tem minimizado os benefícios que o SPD oferece e comprometido a efetiva adoção do SPD na cultura de cebola.

Visando atender tal lacuna tecnológica, estudos vêm sendo conduzidos pela Embrapa Hortaliças com o objetivo de avaliar o efeito de níveis de palhada no solo sobre o uso de água da cebola cultivada em SPD, comparativamente ao SPC.

Estudos Realizados

Os trabalhos de pesquisa vêm sendo realizados no campo experimental da Embrapa Hortaliças, Brasília, DF, em área destinada ao manejo de SPD. Durante os anos de 2005 a 2007 foram avaliadas diferentes cultivares de cebola em SPD com níveis de palhada de sorgo forrageiro, milheto e milho até 14 t/ha de matéria seca (0-90% de cobertura do solo). Em todos os estudos, o SPC foi utilizado como controle. No SPD, as mudas foram transplantadas sobre a palhada, em pequenos sulcos com cerca de 5 cm de largura e 8 cm de profundidade. As operações de preparo do solo no SPC foram as normalmente adotadas pelos produtores de cebola, incluindo aração, gradagem, sulcagem, adubação e transplante. As adubações e demais tratos culturais utilizados nos estudos, exceto pela irrigação, foram os mesmos em ambos os sistemas de cultivo.

Abaixo cebola em Sistema Plantio Direto irrigada por microaspersão

A fim de determinar a real necessidade de água nos diferentes sistemas de cultivo, o controle da irrigação foi realizado de forma independente para cada condição avaliada. As regas por aspersão somente eram realizadas quando a umidade no solo atingia o limite crítico recomendado para a cultura (tensão de água no solo entre 25-30 kPa; avaliada por tensiômetros). A lâmina de água aplicada por irrigação foi à necessária para elevar o teor de água no solo até a capacidade de campo. Isso garantiu que as plantas, independentemente do sistema de cultivo, não fossem submetidas a condições de excesso ou falta de água.

Adicionalmente, foram conduzidas algumas unidades demonstrativas de cultivo de cebola em SPD e SPC em áreas de produção comercial em Minas Gerais e Goiás. Nessas unidades, a decisão de quando se irrigar e da quantidade de água a ser aplicada a cargo do produtor. Certamente, foi alertado sobre a questão da menor necessidade de irrigação no SPD, o que foi observado pelos produtores.

Necessidade de Irrigação

Comparativamente ao SPC, tem-se observado uma redução média no gasto de água em plantios de cebola realizados em SPD da ordem de 15%, podendo superar 20% em lavouras onde a cobertura do solo pela palhada seja espessa, cobrindo 100% do solo. Segundo relatos colhidos em dias de campo sobre o SPD em cebola feitos pelos Srs. Adílio Zorzal Filho, da Coopadap (São Gotardo, MG), e Rafael Corsino, da Agrícola Wehrmann (Cristalina, GO), a redução no gasto de água é de aproximadamente 20%.

A maior conservação de água no SPD está relacionada principalmente com a palhada que permanece na superfície do solo reduzindo a evaporação de água e, conseqüentemente, a necessidade de irrigação. Portanto, o intervalo entre irrigações no SPD é maior que no SPC. Adicionalmente, o acúmulo de matéria orgânica e as melhorias físicas na estrutura do solo no SPD podem proporcionar ligeiro aumento na capacidade de retenção de água do solo e melhor desenvolvimento radicular.

Cebola em Sistema Plantio Direto irrigada por pivô central

Considerando apenas os primeiros 30 dias do ciclo da cultura, quando a cobertura do solo pelas plantas de cebola é ainda muito pequena, a necessidade de água no SPD chega a ser até 30% menor que no SPC. Como conseqüência do maior crescimento das plantas, a economia de água ao longo dos últimos 30 dias do ciclo da cebola cultivada em SPD diminui, mas ainda chega a ser 10% menor que no SPC. Essas diferenças se devem ao fato de que durante o estádio inicial, quando a cobertura do solo pelas plantas é pequena, a evaporação representa a maior parte da água requerida. Porém, à medida que as plantas se desenvolvem, a transpiração passa a ser predominante.

Para fins de estimativa da necessidade de água (evapotranspiração) da cebola em SPD, os valores de coeficiente de cultura (Kc) normalmente recomendados para SPC (1,00; 0,85; 1,05; e 0,75 para os estádios inicial, vegetativo, bulbificação e maturação, respectivamente) devem ser reduzidos em até 30% durante o início do ciclo da cultura e em até 10% no final do ciclo. Assim, valores de Kc para SPD com nível de cobertura do solo pela palhada entre 60-80% devem ser em torno de 0,70, 0,65, 0,90 e 0,68, respectivamente.

Produção de Bulbos e Eficiência do Uso de Água

Nos estudos realizados tem-se observado que a produtividade de cebola em SPD é similar àquela obtida em SPC quando as irrigações em ambos os sistemas de cultivo são realizadas de forma a suprir as reais necessidades de água das plantas. Para tais condições, a eficiência do uso de água pelas plantas em SPD chega a ser 30% maior que em SPC, devido à menor quantidade de água requerida. Isso significa que para produzir uma tonelada de bulbos no SPD são necessários apenas cerca de 70% da água requerida no SPC.

Por outro lado, quando as irrigações no SPD são realizadas de forma inadequada, adotando-se as mesmas freqüências e quantidades de água recomendadas para SPC, a produtividade de bulbos no SPD é normalmente menor que no SPC. Isso ocorre porque as plantas no SPD são submetidas à condição de excesso de água no solo, o que favorece maior incidência de doenças de solo e apodrecimento de bulbos.

Situação oposta, ou seja, obtenção de maior produtividade em SPD do que em SPC também pode ser observada em razão de manejo inadequado da irrigação. Isso ocorre quando o produtor irriga seu campo de cebola cultivado em SPC fornecendo menos água que a necessária, por exemplo, por uma questão de limitação de água. Se esse mesmo produtor adotar o SPD e irrigar da mesma forma que fazia no SPC, a produtividade de bulbos será maior, pois as plantas não serão submetidas às mesmas condições de falta d’água observadas no SPC uma vez que as perdas de água por evaporação no SPD são menores.

Dessa forma, o sucesso econômico e sócio-ambiental do SPD de cebola está condicionado, dentre outros fatores, a um manejo criterioso da água de irrigação ao longo de todo o ciclo da cultura.

Conclusões e Recomendações

• O SPD de cebola proporciona produtividade de bulbos similar ao SPC com menor quantidade de água aplicada (maior eficiência no uso de água) desde que as irrigações sejam realizadas de forma adequada, ou seja, no momento e na quantidade corretos.

• A redução da necessidade de irrigação no SPD ocorre basicamente durante o início do ciclo da cebola, podendo chegar a uma economia de 30%. A redução durante todo o ciclo varia entre 15% e 25%.

• Para estimativa da necessidade de água da cebola em SPD, considerar os seguintes valores de Kc médio: 0,70 para o estádio inicial; 0,65 para vegetativo; 0,90 para bulbificação; e 0,68 para maturação.

• Cebola cultivada em SPD não deve ser irrigada utilizando-se a mesma freqüência e quantidade de água utilizada em SPC, pois as exigências de água são diferentes.

Revista Plantio Direto, edição 105, maio/junho de 2008. Aldeia Norte Editora, Passo Fundo, RS.

Este artigo está na versão completa.
 
© Revista Plantio Direto / Aldeia Norte Editora

Este site é integralmente editado e atualizado pelo Departamento Editorial da Plantio Direto.