Capa
A Revista
Como Ler
Arquivo
Exclusivo Online
Assine
Contato
ASSINANTE
Esqueceu A Senha?
Peça Sua Senha!
SERVIÇOS
Classificados
Livros
Links
Eventos
 
LIVROS
 
ASSINANTE
Usuário:
Senha:
BUSCA
Plantio Direto HomePG
Adicionar aos Favoritos
Arroz


Aspectos gerais de plantio direto/cultivo mínimo em arroz irrigado

Enio Marchezan
Eng.Agr, Professor Dr. Universidade Federal de Santa Maria
Santa Maria-RS


O arroz irrigado apresenta uma particularidade, única entre os principais cultivos agrícolas, que é a possibilidade de implantá-lo através de diversas maneiras (sistema convencional, cultivo mínimo, plantio direto, pré-germinado, mix de pré-germinado e transplante de mudas). Esta característica proporciona flexibilidade ao planejamento da lavoura, pois permite adequar o sistema de cultivo às diferentes condições existentes na propriedade, resultando em maior rentabilidade, seja pela maior produtividade, seja pela redução de custos ou ambas. No planejamento para a realização de uma lavoura de arroz, deve-se ter em conta três objetivos principais: produtividade, qualidade e sustentabilidade. O desafio é buscar o equilíbrio entre eles, de maneira que proporcione maior rentabilidade.
A sustentabilidade econômica e ambiental advém da escolha correta das práticas de manejo, pois quando num sistema de cultivo, uma determinada praga ou planta daninha está aumentando sua população, a utilização de outro sistema pode significar a redução do uso de determinados defensivos agrícolas ou mesmo a sua não aplicação, mantendo a qualidade do produto colhido. Outras exigências de qualidade e novos conceitos de sustentabilidade ambiental virão e para isso os envolvidos no processo produtivo do ecossistema várzea devem se preparar, buscando sempre a rentabilidade que lhes permita continuar na atividade, incorporando inovações tecnológicas.
Cada sistema de cultivo adapta-se a determinada condição; por exemplo, se a infestação com arroz-vermelho é o fator limitante na propriedade, o sistema convencional não é a melhor alternativa para o cultivo de arroz, sendo os sistemas pré-germinado ou transplante de mudas os mais indicados. No entanto, em áreas arrendadas estes sistemas têm dificuldades técnicas para serem implantados, pois exigem a sistematização da área; neste caso, o plantio direto/cultivo mínimo são sistemas que podem ser utilizados, pois não exigem que a área esteja nivelada em sua superfície. Esse é o caso específico de áreas de grande lavoura e de arrendatários, que no Rio Grande do Sul, ocupam cerca de 65% da área de arroz neste regime de uso.
Segundo dados de IRGA disponíveis em www.irga.rs.gov.br, a área cultivada com arroz no Rio Grande do Sul, em cada sistema é a seguinte: cultivo convencional, 45%; cultivo mínimo, 35%; plantio direto, 9%; pré-germinado, 11%, incluindo áreas de pré-germinado e transplante de mudas. Assim, os sistemas plantio direto/cultivo mínimo, passarão a ser discutidos.

Versão completa, somente para assinantes.
 
© Revista Plantio Direto / Aldeia Norte Editora

Este site é integralmente editado e atualizado pelo Departamento Editorial da Plantio Direto.